Esporte Interativo realiza mudanças que estremecem o futebol brasileiro

esporte-interativo-brasileiro

Não é de hoje que o futebol brasileiro pede mudanças no que diz respeito as transmissões de jogos nas TVs aberta e fechada. Com a crise financeira instalada no país, muitos meios de comunicação, principalmente a Globo, detentora desse poderio de transmissão, resolveu reduzir os custos. Não é de hoje também que vemos que a qualidade das transmissões despencaram e que o futebol não é a principal atração da emissora.

Indignados com essa redução, alguns clubes brasileiros, como Santos, Fluminense, Palmeiras e Coritiba tentaram pensar em uma estratégia para alavancar os lucros e quitar dívidas que a anos se arrastam, ainda mais sobre a ameaça de serem rebaixados caso não cumpram o seu papel. É nesse momento que entra o Esporte Interativo.

Como foi apurado pelo site da ESPN, a emissora, que agora é comandada por uma empresa dos Estados Unidos, ofereceu um pacote de R$ 600 milhões, com contrato de 2019 a 2024, distribuição seguindo o modelo da Premier League, fim dos jogos as 22h e uma cláusula ironicamente apelidada de “anti-Corinthians”, onde nenhuma equipe seria beneficiada com uma maior transmissão, sendo que a exibição sempre ocorreria em rede fechada. Essa é a ideia de derrubar o reinado da Globo.

O pacote é tentador aos clubes mais necessitados, pois o investimento do EI chega a ser dez vezes maior que a Globo, que oferece uma cota adiantada de R$ 20 milhões. Como saída, a Globo disse que poderia aumentar o valor distribuído aos clubes, mas que reduziria a transmissão em TV fechada, no caso da SporTV e Premiere, que atualmente é de 3% do total desembolsado com as cotas anuais. Os clubes recusaram a manobra.

Ainda segundo a ESPN, sete times se “comprometeram” a analisar o pacote do EI e se reunir a partir da segunda-feira (11), para acertar os detalhes do acordo e assinar. Grêmio, Inter, Santos, Fluminense, Coritiba, Atlético-PR e Bahia seriam o grupo com as conversas adiantadas. Sport participou da reunião, mas balança com a proposta do EI e da Globo. A emissora da família Marinho detém os direitos do Campeonato Brasileiro, tanto na TV aberta quanto na fechada, até 2018. E é isso que o Esporte Interativo se sustenta para garantir as futuras transmissões.

Não é de hoje que a Globo perde o reinado em muitas competições que ela tomava como sua. A Taça Libertadores fechou um acordo com a Fox Sports e muitos dos jogos exclusivos da TV aberta agora dividem espaço com a rede fechada. Além disso, outros jogos ignorados pela Globo eram transmitidos com exclusividade pelo canal esportivo. O lance de mostrar apenas uma equipe ou diferenciar as cotas pelo público que assiste não acontece nesses novos canais, que seduzem os outros clubes.

O UPJ entrou em contato com alguns clubes para saber como está o andamento das negociações. O São Paulo informou que não se pronuncia sobre negociações financeiras. As demais equipes citadas como o grupo interessado no contrato do Esporte Interativo ainda não nos deram um retorno até o fechamento desse artigo.

A mudança é inevitável. O futebol precisa de um ar novo para se reerguer. O molde ultrapassado já não ajuda as equipes como deveriam. O EI, esperto, viu a grande oportunidade, como a Fox Sports viu no passado com a Libertadores. O espectador também não aguenta a mesma falação de narradores e comentaristas que estão a anos e não dão lugar a jornalistas mais jovens e promissores, que buscam o diferencial. E as válvulas de escape começam a aparecer.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.