Quatro empresas disputam obras da Mugnatto Marincek

(Foto: Carlos Natal / CCS)

(Foto: Carlos Natal / CCS)

 

Agora vai? Quatro empresas se interessaram pela pavimentação e duplicação da Avenida Antônia Mugnatto Marincek, na entrada de bairros como Ribeirão Verde, Jardim Antônio Palocci, na zona leste de Ribeirão Preto (SP). Os moradores reivindicam essa mudança para que o trânsito possa fluir melhor nos horários de picos. O local será reformado por verbas vindas do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC II). Confira a reportagem completa publicada na revista Revide.


 

A pavimentação e duplicação da avenida Antônia Mugnatto Marincek entre a Rodovia Anhanguera e Rua José Malvaso no Jardim Antonio Palocci, atraiu o interesse de quatro empresas. Os primeiros envelopes, de documentos, foram abertos na manhã desta segunda-feira, 11, pela Comissão de Licitações.

A duplicação da avenida é uma das obras que foi incluída nas intervenções de mobilidade urbana, com recursos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC II), que tem financiamento aprovado de R$ 310 milhões. A obra está orçada em R$ 35,9 milhões, com prazo de execução de dois anos. E é a primeira a ser licitada.

Entregaram documentos a Construtora Said Ltda., a DP Barros Arquitetura e Construção Ltda., a Prime Infraestrutura S/A e a Tecla construções Ltda. Com a entrega dos documentos, a comissão de licitações os analisa e publica os nomes das habilitadas e de inabilitadas, se for o caso.

A partir da habilitação, abre-se se prazo de cinco dias para eventuais recursos dos participantes. Apenas após o prazo de recurso são abertos os envelopes com os preços ofertados pelas empresas concorrentes e vence a que apresentar menor preço global.

Segundo o secretário de Obras Públicas, Abranche Fuad Abdo, cerca de dez empresas fizeram a visita técnica, mas apenas quatro decidiram participar da disputa. “Se fosse uma licitação com valor entre R$ 3 milhões e R$ 4 milhões, teríamos muita disputa. Com valor maior, para todas as obras de mobilidade, com cerca de R$ 300 milhões também teríamos muitas empresas”, disse Abranche.

Isso porque, de acordo com o secretário, valores maiores atraem grandes construtoras, que não se interessam por obras no valor ofertado. Mas no patamar da duplicação também não há muitas empresas com saúde financeira para suportar o trabalho, com fôlego para trabalhar e aguardar o cronograma financeiro.

Jardim Itaú

Uma das empresas que está na disputa da obra, a Prime Infraestrutura, foi punida, em janeiro deste ano, por não concluir um contrato para executar obras de pavimentação no Jardim Itaú, também com recursos do PAC II. Após as notificações previstas na legislação, a Prefeitura multou a empresa em R$ 291,65 mil, o equivalente a 10% do valor do contrato. “A empresa foi multada, mas não chegou a ser inabilitada”, disse Abranche.

Agora nova licitação terá que ser publicada. O secretário disse que na próxima semana a concorrência será publicada para a contratação de nova empresa para a conclusão dos serviços.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.