Quando a falta de comunicação desestrutura todo um sistema

(Foto: Weber Sian/Reprodução)

 

A grande polêmica da vez em Ribeirão Preto, cidade do interior do estado de São Paulo, é sobre a mudança na lei e cobrança da Área Azul. Atualmente localizada na região central da cidade, A Área Azul recebeu um aumento na tarifa decretado pela prefeitura, que passará de R$ 1 para R$ 3. O valor antigo ainda poderá ser cobrado até dezembro deste ano.

A notícia foi publicada na edição do dia 31 de maio do Jornal A Cidade, impresso importante da cidade, e que questionou o aumento dado pela Prefeitura. A administração respondeu que o preço de R$ 1 vinha sendo cobrado desde 1998, e que com a crise econômica, a arrecadação da Área Azul é insuficiente para pagar as despesas com a mesma. De modo seletivo, o jornal entrevistou motoristas que reclamaram da atitude da Prefeitura.

No entanto, o que mais chama a atenção foi à notícia publicada pelo mesmo jornal, agora no dia 2 de junho, que informa que a Área Azul deverá ser ampliada para as Avenidas Dom Pedro (zona norte) e 9 de Julho (zona sul). Para comprovar as informações, o jornal entrevistou o superintendente da Transerp, órgão responsável pelo trânsito na cidade, que disse que há um estudo em andamento para a ampliação da Área Azul.

Como forma de se defender de tais “acusações”, a Prefeitura emitiu uma nota na manhã desta quinta-feira (2) esclarecendo:

Em relação à notícia publicada no Jornal A Cidade, edição desta quinta-feira, dia 2 de junho de 2016, ‘Prefeitura já estuda área Azul na 9 de julho e na Dom Pedro’, a Transerp não discutiu e nem conversou com a Administração sobre nenhum estudo técnico para criar Área Azul nestes locais.

Portanto, o Executivo não tem conhecimento deste estudo e a criação de novos locais com Área Azul não faz parte dos projetos a serem implantados nesta gestão.

O que parece é que Transerp e Prefeitura, que deveriam se conversar sobre questões como a Área Azul, não estão se entendendo e soltam declarações “fervorosas” para a maravilhosa imprensa ribeirão-pretana cair matando em cima. Na mesma reportagem, o jornal critica, com apoio da Câmara dos Vereadores, que a cidade não possui uma lei que regulamenta a Área Azul, o que foi retrucado pela Administração em outra nota:

1) Informamos que a Transerp, na qualidade de entidade executiva de trânsito do município de Ribeirão Preto, exerce suas atribuições, inclusive, no âmbito do estacionamento rotativo pago, denominado Área Azul, com fundamento e por exigência da Lei Federal n. 9.503/1997, Código de Trânsito Brasileiro.

2) Com efeito, o artigo 24, inciso X, do Código de Trânsito Brasileiro, estabelece expressamente a competência das entidades executivas de trânsito municipais, para implantar, manter e operar sistema de estacionamento rotativo pago nas vias.

3) A legislação federal mencionada é suficiente, por si só, para o exercício pela Transerp dessas atribuições.

4) Além disso, a Lei Complementar Municipal n. 998/2000 dispõe que, compete à Transerp administrar os bolsões e o sistema de Área Azul.

5) Diante disso, torna-se evidente que a revogação do Decreto Municipal n. 035/1985, não interferiu em hipótese alguma na manutenção do atual sistema de Área Azul do Município de Ribeirão Preto.

Definitivamente, não dá para acreditar em ninguém nessa história, pois a troca de “gentilezas” é evidente. E com isso, a imprensa coloca mais lenha na fogueira em uma Prefeitura que já se perdeu há muito tempo e não sabe onde vai parar. E te digo uma coisa: isso não é culpa do PT.

Confira as reportagens sobre a Área Azul aqui e aqui.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.