O mercado ainda se recusa a inovar e se modernizar

(Foto: Reprodução)

Hoje falamos muito de empresas mais “amigas” dos funcionários, que criam ambientes mais aconchegantes, funcionais e fora daqueles cubos de vidros que eram os escritórios. Na contramão disso são os jovens no mercado de trabalho. Ainda vemos poucas empresas aderindo ao jovem inexperiente, que busca seu espaço em meio a concorrência pesada.

Com a minha busca por um emprego e entendendo melhor o mercado, pude perceber que a crise criou uma barreira para a questão do “sem experiência”. Boa parte das vagas que pude acompanhar pedia experiência, queria alguém bem capacitado para a área e, muitas vezes, pagava pouco por aquilo. E há quem aceite isso, pois a crise criou um “desespero” pelo trabalho, dinheiro e estabilidade.

O mercado se mantém muito competitivo. Enquanto o governo fala em crescimento econômico, a realidade nas ruas é completamente diferente. Falo isso por experiência própria, que sempre participou de processos seletivos onde tinha, no mínimo, 20 candidatos para apenas uma vaga. E de diversas formações. Desde quem busca experiência de primeiro emprego até o mais qualificado dos trabalhadores.

Neste momento é que vemos como é importante uma faculdade, curso técnico, se dedicar horas a livros, cursos, palestras, workshops e conhecimento. Hoje, o trabalhador que não se atualiza, que não está ligado as redes sociais, tecnologia e inovações, no modo profissional, será passado para trás pelo candidato super conectado. Os celulares, tablets, computadores e internet nos criaram uma dependência da conexão 24 horas e isso também acontece no ambiente de trabalho.

A internet também trouxe à tona o marketing pessoal. Não vivemos mais sem estarmos presentes nas redes sociais, respondendo fóruns de debates, vendo vídeos no Youtube e conectado com as últimas novidades do mercado de entretenimento e financeiro. Dependemos de dados, planilhas e movimentação do mercado para saber onde investir e como investir. Tudo tem seu lado bom, mas quando se perde o controle, o que poderia ser um sonho, se torna um pesadelo.

Por isso, pense bem como você guiará sua vida profissional, que influencia de modo indireto a vida pessoal e vice-versa. Saiba dividir suas tarefas, enriquecer seu conhecimento e tenha em mente seus objetivos de vida. Faça o planejamento com cautela, para não ter surpresas futuras. Nunca saberemos como estará o país daqui cinco anos, por exemplo. Tudo é um grande mistério, mas precisamos estar preparados para o que vier, independentemente de ser algo bom ou ruim. Pense nisso.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.